CURSO - CÁLCULOS TRABALHISTAS NAS ROTINAS DE PESSOAL

 

CÁLCULOS TRABALHISTAS NAS ROTINAS DE PESSOAL
 
NOVIDADES:
·         AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL – NOVO QUADRO DEMONSTRATITVO ELABORADO PELA SECRETARIA DO MTE A PARTIR DE MAIO/2012.
·         NÃO INCIDÊNCIA DO INSS NO AVISO PRÉVIO INDENIZADO. ADIN DO STF E JURISPRUDÊNCIA DOS TRIBUNAIS.
·         Esclarecendo as Súmulas do Egrégio Tribunal Superior do Trabalho (TST)
·         NOVAS SÚMULAS e NOVAS REDAÇÕES DO EGRÉGIO TST, DANDO NOVOS ENTENDIMENTOS (EXEMPLOS PRÁTICOS EM SALA DE AULA)
·         Sobre aviso – aplicação analógica do art. 244, § 2o da CLT.
·         Tempo máximo para não pagar hora extra do trabalhador entre a portaria e o local de trabalho.
·         Divisor 200 para empresa com 40 horas semanais, aplicação do cálculo.
·         Indenização de supressão de horas extras, alteração do cálculo.
·         Intervalo intrajornada para repouso e alimentação. Aplicação do art. 71 da CLT.
·         Auxílio-doença acidentário e aposentadoria por invalidez e plano de saúde ou assistência médica.
·         Aviso prévio proporcionalidade.
·         Dispensa discriminatória, presunção, empregado portador de doença grave.
·         jornada de trabalho. Escala 12x36.
·         Nova redação estante, estabilidade provisória. Contrato por tempo determinado.
·         Convenção coletiva de trabalho ou acordo coletivo de trabalho. Cláusulas normativas, supressão, somente mediante negociação coletiva de trabalho.
·         Dirigente sindical x estabilidade provisória.
·         Estabilidade provisória por acidente do trabalho e contrato de trabalho por tempo determinado.
OBJETIVOS :
·         Atualizar conhecimentos em cálculos trabalhistas, aprendendo as rotinas fundamentais nas relações trabalhistas.Legislação e exercícios práticos atualizados de acordo com as Súmulas do TST.
·         Transmitir aos participantes conhecimentos teóricos e práticos conforme legislação e julgados atuais, a fim de proporcionar de forma correta a realização de cálculos em folha de pagamento e rescisões contratuais. Necessário trazer calculadora simples.
 
PÚBLICO-ALVO:
·         Contabilistas, chefes de departamento pessoal, recursos humanos, assistentes e demais profissionais envolvidos com o departamento de recursos humanos e outros correlatos.
Antes de iniciar o conteúdo programático, faremos  algumas colocações (perguntas):
·         Por que é repouso semanal remunerado e não descanso semanal remunerado?
·         Como descontar o RSR da falta não abonada quando a jornada for inferior a 44 h semanais?
·         Qual a diferença entre falta justificada e falta abonada?
·         Qual o procedimento na folha de pagamento sobre faltas, atrasos e atestados médicos?
·         Qual o período que se entende por semana trabalhista?
·         Como calcular a indenização de supressão das horas extraordinárias?
·         Qual procedimento do mensalista e o desconto do RSR da falta não abonada?
·         Vales-transportes: o percentual de desconto é sobre o salário básico ou sobre os vencimentos do empregado. O que entendemos por salário e quais são os adicionais. Comissão, percentagem e gratificação ajustada é salário?
·         Como calcular a remuneração do horista que recebe adicional noturno e periculosidade?
·         Como calcular as férias quando o empregado ficou afastado um período por motivo de auxílio-doença ou auxílio-doença por acidente?
·         Cálculo dos encargos (INSS, FGTS e IRF) das férias com início em mês e término no seguinte?
·         Dispensa fictícia seguida de recontratação é ato fraudulento?
·         Consequência da dispensa sem justa causa pelo empregador, no período de 30 dias que precedem à correção salarial. Quais são os prejuízos do empregador?
·         Saber da grande diferença: dar férias para o empregado e depois desligá-lo ou desligá-lo antes do gozo de férias?
·         Como calcular o INSS do empregado comissionado por ocasião do acerto de pagamento da segunda parcela do 13o salário?
·         Como calcular hora extra com hora reduzida (horário noturno)?
·         Quando o adicional de insalubridade é calculado sobre o salário profissional e não sobre o salário mínimo?
·         Como calcular a contribuição sindical de empregados que recebem vários adicionais?
·         Tudo isso pode parecer muito simples, mas onde está o fundamento legal?


central de atendimento
fale conosco: 71 3027-0135